Série – Pequenas Histórias da AYAHUASCA XII – Ensinamentos

Mestres Serie Historias V16
Por: Elton da Rosa

Ensinamentos

Ao longo desses últimos tempos, tenho tido Trabalhos onde são trazidos pequenos ensinamentos, como quando perguntei porque eu sempre fui tão limitado em ser o primeiro, por exemplo no futebol, onde sempre atuava no time mais fraco e nunca consegui ser um dos melhores em outros esportes como natação, corrida, salto, etc., então fui visualizando momentos da minha vida onde tentei dar mais do que poderia e de como nesses momentos algumas energias que me acompanham tiraram de mim as forças.
 
Dentro dessas mirações fui percebendo que, por algum motivo eles estavam me protegendo. Mas porquê? Porque me tiravam a força nos momentos em que precisava me superar e porque isso de alguma maneira tinha a ver com me proteger?Então chegou a resposta aos meus questionamentos: “Se não tivéssemos acompanhado você e controlado suas forças, hoje você estaria numa cadeira de rodas”.
 
Chorei de agradecimento por aqueles seres que me acompanham e me preservaram ao longo da minha vida, me preparando para este momento belo da vida, que é chegar aos 50 anos com um corpo em perfeitas condições de uso, para prosseguir e experimentar esta fase da vida com toda a intensidade possível, ou melhor permitida.
 
Neste último Trabalho, inicialmente, no embalo da música, Ave Maria, do Ray Conniff, na miração me elevou ao céu, sentido toda a gratidão que acredito ser possível nesta terra. Terminada a música e retornando ao estado meditativo, direcionei meus pensamentos a uma questão que tem tomado meus sentimentos em alguns momentos, quer seja a minha pouca habilidade de ler em tempo real as sutilezas dos relacionamentos, em especial, as indiretas que as pessoas nos direcionam, sendo que normalmente capto a ideia algum tempo depois, mas no momento que ocorrem, minha mente fica limpa da compreensão e dou respostas sinceras, sem considerar o sarcasmo embutido.
 
Iniciei visualizando um ocorrência de uma pessoa que havia feito um comentário sobre o uso de um óculos de sol durante uma celebração religiosa, quando expliquei que naquele dia meu olho estava muito inchado por conta de um cirurgia. Na miração vi como teria ficado minha expressão facial e meus gestos, caso tivesse percebido na hora o sarcasmo da pessoa. Visualizei novamente toda a situação, informaram que depois de eu controlar a questão dessas reações espontâneas, então poderia ser liberada a compreensão imediata das entrelinhas e pra completar, disseram: você ainda é muito nervosinho para entender as coisas de pronto. Resignado, compreendi que eles estavam certos e fixei meu pensamento em como poderia treinar essas reações naturais e então informaram que poderia começar com minha esposa, que eventualmente fala algumas coisas que magoam e então seria o momento certo para avaliar a situação, não esboçar reações e refletir sabiamente sobre o melhor caminho para obter o melhor resultado possível na situação.
 
Tive ainda muitas outras questões respondidas, algumas situações do dia a dia, meu comportamento diante das ocorrências diárias no meu emprego, as dificuldades que um amigo meu que ocupa um alto cargo dentro da empresa que trabalho, enfrenta diariamente. Tentei entender como poderia ajudar e não obtive grandes evoluções além do que já sei que preciso fazer.
A cada Trabalho compreendo um pouco desse universo que sou EU, mas a cada nova descoberta, encontro outro oceano de coisas a descobrir, mas o que realmente importa que percebo que estou cada vez melhor nos relacionamentos pessoais e isso é o que verdadeiramente importa.
 
Relato: Elton da Rosa, em 24/07/2016  
Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Rádio Rosa da Vida

 

 

  Mestre Irineu   Mestre Francisco  Mestre Iran